Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 21 DE FEVEREIRO DE 2018

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  20/02/2018   GM vai aumentar produção em São Caetano, que terá carros inéditos a partir de 2020 - Dentro de 1 ano, montadora passará a fabricar 330 mi...     20/02/2018   INFRAERO LANÇA LICITAÇÕES NO SUL - A Infraero publicou os editais de licitação para a concessão dos terminais de carga (Teca) dos aeropor...     20/02/2018   AMAZON NEGOCIA GALPÃO NO BRASIL - O grupo americano de varejo online Amazon.com está transferindo as operações logísticas no Brasil para ...     20/02/2018   ALCIS É PARCEIRO GOLD DA ORACLE - A ALCIS, sócia-apoiadora da Abralog, iniciou em 2017 um processo de certificação na ORACLE. Registrou o...     20/02/2018   CNL SERÁ JUNTO COM A INTERMODAL - Nova parceira da UBM, a Associação Brasileira de Logística, a Abralog, realiza sua XXI Conferência Naci...     20/02/2018   2018: ano de investir no transporte - Leia a primeira parte da entrevista concedida pelo presidente da CNT, Clésio Andrade, à edição de j...     20/02/2018   Presidente da CNT fala sobre os 25 anos do SEST SENAT - Leia a segunda parte da entrevista de Clésio Andrade concedida à Revista CNT Tran...     20/02/2018   ANTT aprova plano de outorga da Ferrovia Norte-Sul - Trecho de 1.537 km da ferrovia será subconcedido.     20/02/2018   Começa primeira certificação internacional voltada para o setor ferroviário - Oferecido pelo ITL e pelo SEST SENAT, o curso internacional...     20/02/2018   Metrô: debate previsto para 2 de março - Recém-anunciada a rescisão de contrato entre o Governo do Estado e o consórcio formado pela Acci...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

10/02/2018

Privatização da Eletrobras pode criar nova estatal e mais duas agências públicas

Empresas

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

Os planos do governo de privatizar a Eletrobras podem resultar na criação de até duas agências públicas e uma nova estatal para administrar ativos e programas antes sob responsabilidade da elétrica federal, a depender de propostas do Ministério de Minas e Energia e do relator do processo sobre a desestatização na Câmara dos Deputados.

As discussões em andamento, que ressaltam como é complexa a privatização da Eletrobras, seguem-se ao envio pelo Palácio do Planalto ao Congresso Nacional de um projeto de lei com uma modelagem para a desestatização da Eletrobras, com um cronograma que prevê aprovação parlamentar até junho e conclusão do processo ainda em 2018.

O secretário de Planejamento do Ministério de Minas e Energia, Eduardo Azevedo, disse à Reuters nesta segunda-feira que estão em estudo no governo a criação de uma estatal para administrar hidrelétricas binacionais como Itaipu e as usinas nucleares brasileiras, além de uma agência para assumir a responsabilidade de um programa federal de eficiência energética hoje gerido pela Eletrobras, o Procel.

Seria criada a Agência Brasileira de Desenvolvimento Energético (ABDE) para assumir ainda outras obrigações além do Procel, como a gestão de recursos que elétricas precisam obrigatoriamente destinar a programas de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e o Conpet, um programa de racionalização do uso de derivados de petróleo e gás natural hoje executado pelo governo com apoio da Petrobras.

“Isso já estava sendo discutido, mas quando surgiu a proposta de privatização da Eletrobras tornou-se mais urgente a necessidade de ter essa nova instituição”, disse Azevedo.

Segundo ele, a criação da ABDE pode ser viabilizada por meio de um projeto de lei a ser enviado em breve ao Congresso Nacional.

Ele disse também que a nova estatal que deverá substituir a Eletrobras na gestão de Itaipu e das usinas nucleares ainda deverá ficar com a responsabilidade de tocar adiante projetos de futuras hidrelétricas binacionais, que hoje também são executados pela Eletrobras.

“Alguns ativos não podem ser destinados ao setor privado, como os nucleares e Itaipu. E também outros projetos binacionais, alguns até já avançados, em termos de elaboração de projeto executivo. Seria natural que ficassem em outra empresa, no ministério não faz sentido. Seria uma estatal, mas está sendo discutido”, disse.

SÃO FRANCISCO
O projeto de lei sobre a Eletrobras enviado ao Congresso prevê que após a desestatização a companhia terá a obrigação de destinar verbas a um programa de revitalização do rio São Francisco –seriam 350 milhões de reais por ano nos primeiros quinze anos e 250 milhões de reais anuais nos demais quinze anos, com os recursos administrados por um comitê gestor.

Mas o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA), relator do projeto de lei na Câmara, quer alterar o texto para incluir a criação de uma nova agência para gerenciar esses recursos.

Aleluia, que já foi presidente da Chesf, subsidiária da Eletrobras que opera usinas no São Francisco, disse em seu Twitter que a agência seria financiada com “parcela significativa” dos recursos gerados pelas nove hidrelétricas da Eletrobras no rio.

“Estamos falando de um órgão estritamente técnico, ‘mínimo’, que deve operar longe de Brasília com o foco em projetos de desenvolvimento e revitalização de seu vale. Os valores assegurados pela geração de energia no rio devem ir para um caixa próprio que ficará independente do orçamento federal e livre de contingenciamentos ou cortes”, escreveu ele na sexta-feira.

Questionado sobre as falas do parlamentar, o secretário de Planejamento do Ministério de Minas e Energia, Eduardo Azevedo, disse que a princípio não há oposição do governo.

“Não conheço a proposta em si, mas a princípio criar uma agência para gerir os recursos que podem ser destinados ao rio não é uma má ideia. Tem que ver o modelo que ele está propondo”, afirmou.

Especialistas do setor elétrico alertavam desde o ano passado que poderia haver forte resistência de políticos do Nordeste à venda da Chesf, o que levou o governo a propor a destinação de recursos da Eletrobras ao São Francisco como forma de reduzir resistências à desestatização.

Fonte: Reuters

 

Por REUTERS

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Compartilhar

Clique para ampliar

Leia Também

INFRAERO LANÇA LICITAÇÕES NO SUL

ALCIS É PARCEIRO GOLD DA ORACLE

Justiça discute licenças de usinas da Coogerva

Prumo Logística estabelece preço em oferta para aquisição de ações em R$11,50

Governo anunciará reserva de R$12 bi com privatização da Eletrobras no Orçamento de 2018, diz fonte

GM vai aumentar produção em São Caetano, que terá carros inéditos a partir de 2020

AMAZON NEGOCIA GALPÃO NO BRASIL

CNL SERÁ JUNTO COM A INTERMODAL

2018: ano de investir no transporte

Presidente da CNT fala sobre os 25 anos do SEST SENAT

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística